sexta-feira, 28 de dezembro de 2012

8 ou 80


Vejo oque sinto
sinto que vejo
é 8 ou 80 o tamanho do desejo?


Vontade que bate
Invade, me salve
é 8 ou 80 a intensidade do seu beijo?

Ao passo que sigo
em momentos distintos
A fúria, a calma
A raiva, o medo
Transporto em mim o desespero

Sendo quente, frio
tênue,explosivo
Assim tão sem sentido
Como quem espera um desfecho
Assim uma resposta eu anseio

                                    Glaupe Rezende

Vou Tentar


  
Vou tentar esquecer
E recomeçar
Vou tentar escrever
E depois apagar

Vou tentar não querer
E deixar de lado
Vou tentar não sofrer
E ser poupado

Vou tentar
Sem saber se posso
E tentar já é prova
Que falta vontade
E dizer só pode significar
Que mais uma vez
As palavras são do vento
São do tempo
E na verdade eu nem quero conseguir
Porque insisto em sempre tentar

                                Glaupe Rezende

Meu sonho


Sonhei que era poeta
E que transformava sentimentos em palavras
Sonhei que essas palavras
Transformavam vidas em novos sonhos

Sonhei que elas voavam
Em outros ventos
Atravessavam o tempo
E retornavam

Sonhei que entre os papéis
Entre as canções
Elas dançavam

Sonhei que me faziam feliz
E que a alegria contagiava

Quando eu acordei
Pude ver o que tinha mudado
E que um sonho não pode deixar de ser sonhado
Mesmo que não se torne real
E as palavras
Voem e se percam
No meio do caos                               
                                               Glaupe Rezende

Sistemático



Quem é o culpado?
Qual é o crime?
Por qual nós pagamos

Não adianta grades
Elas não vão nos libertar
Sentenças, números, anos
Não vão remediar

A dor
Persiste, insiste
Vive
Sistematizando nossas vidas
Corrompendo os dias
Os homens, de bem
São homens do mau

Quem defende é quem aprisiona
Quem acusa, condiciona
A luta, o sangue
Filhos, pais
Justiça, qual?
Justo, quem?
O que pode ser igual
No meio do caos
Quem se diz honesto
é apenas um inseto
Neste lixo social.

Sentido


Por que não te encontro mais?
Minhas forças me deixaram em meio a dor
Por que não te escuto mais?
Meus ouvidos estão tapados, não te ouço Senhor

Quando penso que estou perto
De alcançar suas promessas
Quando estou tão sofrido, humilhado em desespero
Quando não te sinto aqui, pouca fé, pouca oração
Quando até parece que para o amor se fechou meu coração

É, nessa hora eu acredito, eu te peço, te suplico
Admito, eu sou fraco, reconheço que sem Ti, não tenho lar, não tenho abrigo
Preciso aprender
Te buscar e creser
Por que viver sem Te ter para mim não faz sentido...

Beleza Relativa


A beleza exibida
Nos anúncio, nas revistas
Talvez nem chegue perto
Daquela que encontramos no dia-a-dia

O que é ser bonito
Ser humano, solidário, ser querido
Não está na sua roupa, maquiagem, num vestido

Mas a beleza que há em mim
Reconheço é relativa
Para os cegos e os vazios
Passará despercebida
Vc olha e não me vê
Ouve e não me entende
Porque o mais belo é sentir
E vc só enxerga o que é aparente.

                                          Glaupe Rezende

QUADRADO


Não se enquadra
Nesse mundo quadrado, estereotipado
Tão cheio de obrigações
Não se livra das amarras
Privações e punições
Nem se enxerga na armadilha
De hipocrisias, o que se diz
Não se ouve, não executa

Esse mundo sem dono, do abandono
Pessoas vagueiam, com os olhos cegos
Sem Deus, sem religião
Muda tudo, muda mundo
Muda ilusão
De que tudo funcionava
Que as coisas caminhavam
Para a certa direção

                                          Glaupe Rezende